Posts

7 maneiras de tornar o estudo divertido

Muitas crianças não estudam porque acham chato. Ninguém gosta de olhar para os livros e se sentir desmotivado. Parece que seu cérebro adormece… Isso se a gente fica com a máxima de que o estudo não pode ser divertido. E muito mais do que não fazer o dever, fica mais desafiador delas memorizarem aquilo que está sendo estudado.

A boa notícia é que você pode ajudar seu filho e tornar o estudo mais divertido. Assim, é mais provável que seu filho retenha as informações por mais tempo e a experiência de estudar seja uma hora de sorrisos.

Elimine a velha rotina de estudo e use essas maneiras empolgantes de tornar o estudo divertido para as crianças.

Como tornar o estudo divertido?

1. Faça leituras dramáticas

Quando seu filho precisar ler algum livro que “empacou”, faça uma leitura dramática. Isso mesmo, como se estivesse atuando: com veemência e energia. Ler em voz alta pode tornar as coisas mais fáceis para as crianças se lembrarem. Deixe que seu filho fique realmente envolvido com suas leituras para que se divirtam enquanto estudam.

2. Faça pausas para atividades divertidas, como dançar

O tempo que seu filho passa estudando é importante, mas também é necessário ter intervalos para que as informações “se assentem”. Que tal fazer uma pausa para dançar de vez em quando? Coloque uma música divertida e deixe-os dançar por alguns minutos. Você pode até usar música que seja relevante para as informações que eles estão estudando para tornar a dança ainda mais produtiva. Você também pode escolher uma outra atividade, mas que não saia por muito tempo do foco dos estudos.

3. Desenhe para ilustrar pontos importantes

Às vezes, é difícil para as crianças compreenderem e lembrarem certos conceitos, principalmente os novos. Então, considere fazer com que as crianças façam desenhos que ajudem a ilustrar pontos importantes. Esta não é apenas uma maneira divertida de aprender, mas também ajuda seu filho a expressar pontos de uma maneira fácil e lúdica.

4. Jogue com a disciplina para um estudo divertido

Jogar sempre é uma ótima maneira de estudar enquanto se diverte. As crianças adoram jogar, e se você transformar o tempo de estudo em tempo de jogo, eles vão aprender. Por exemplo: se seu filho estiver com dificuldades em sentar para estudar matemática, que tal fazer um Quizz? Ou se o problema é história, que tal fazer um jogo de mímicas baseado no conteúdo?

5. Siga o estilo de aprendizagem do seu filho

É muito importante que você entenda que tipo de aluno seu filho é, ou seja, auditivo, visual ou cinestésico. Você pode adotar um cronograma de estudos com base na preferência do seu filho.

6. Coloque ênfase na aprendizagem e não nas notas

Embora boas notas sejam importantes para passar de ano, isso não deve ser a prioridade. Na verdade, isso pode fazer com que o estudo se torne uma obrigação pesada, cheia de expectativas. Mude o foco do aprendizado. Mostre que aprender é muito mais do que tirar boas notas. Pergunte a ele sobre as atividades do dia a dia na classe e o que ele aprendeu no dia de interessante. Demonstre curiosidade.

7. Esteja do lado do seu filho

Ainda sobre essa questão: não coloque pressão sobre seu filho para ter uma boa pontuação ou obter melhores notas. Seja legal e gentil com ele e tente entender as coisas de sua perspectiva. Tente tornar seu filho responsável pelos estudos de maneira positiva, pois qualquer tipo de negatividade pode transformá-lo em um rebelde e isso pode fazê-lo ceder e desafiar você.

Separamos um podcast muito interessante que complementa esse assunto. Veja abaixo:

Como escolher uma escola para seu filho(a)?

Um novo mundo se abre quando a criança entra na escola. Longe dos pais e dos padrões de casa, o seu filho tem a oportunidade de criar amigos, aprendizados e descobertas. Tudo o que se vive nesses primeiros anos de vida – que vão durar até os 17, 18 anos – contribui para a formação dele como ser humano. Por isso, saber escolher uma escola ideal é o primeiro passo para uma boa formação do seu filho.

Separamos aqui 7 dicas para que a escolha seja certeira para o que você espera do futuro dos seus filhos.

Saiba o que você espera da escola

Nem todo lugar vai se encaixar com as expectativas de todas as famílias. Por isso, antes de sair à procura, faça uma lista do que você espera de uma escola. Pense naquilo que é imprescindível (profissionais qualificados, proximidade de casa, cursos extracurriculares etc.). Elenque em ordem de importância. É mais importante ser perto de casa ou ter uma mensalidade que cabe no bolso? Ter cursos extracurriculares ou foco no vestibular? Com essas questões resolvidas, ficará mais fácil identificar os pontos fortes de cada escola que visitar.

Pense no tipo de educação que você procura

Existem diversas metodologias de ensino para escolher. Todas elas funcionam. A única diferença é que cada uma vai encaixar em um perfil de família diferente. Desse modo, tenha em mente qual é o tipo de educação que deseja para seu filho que esteja de acordo com os valores e crenças que permeiam o ambiente familiar.

Entretanto, tome cuidado para não deixar os interesses da criança de lado. É preciso que família, criança/adolescente e escola estejam em sintonia. Afinal, não adiantaria nada encontrar um lugar que tenha os valores da sua família mas que não é agradável ao seu filho, certo?

Pesquise muito

Faça uma lista das escolas do seu bairro, perto do seu trabalho… Não há um número máximo ou mínimo de escolas a se visitar. Lembra a outra lista sobre o que espera da escola? Faça uma pré-seleção baseada nessas expectativas. Após finalizada a relação das possíveis escolhas, comece as visitas. Só faça a escolha quando a família tiver segura e confiante.

Leve a criança para uma visita

Nas visitas às escolas, é importante que se leve, pelo menos uma vez, a criança. Quando o filho faz a visita, a família saberá só de olhar em seu rosto se houve algum tipo de sintonia. Se ele se sentiu confortável, provavelmente será uma boa escolha.

Procure além do básico

Muito mais do que passar disciplinas tradicionais e preparar para o mercado de trabalho, a escola é um dos lugares nos quais se ensinarão valores e estimulará o desenvolvimento cognitivo, físico e social – independentemente da idade. Verifique se a escolhida tem em suas prioridades tais pontos humanos.

Verifique as referências

Ok, achou uma escola que agradou a família e a criança. Agora é hora de procurar as referências. Tente conversar com mães e pais de alunos da escola, entrar em fóruns de discussão online e nas páginas da escola nas redes sociais. Verifique se há comentários negativos em algum lugar. Se as referências forem boas, mais um ponto positivo!

Pergunte sobre as tendências futuras

Outro ponto que muita gente se esquece na hora de conhecer e escolher uma escola, é saber se ela está atenta aos avanços tecnológicos e pedagógicos. Pergunte se os professores são treinados constantemente e como a escola se mantém atualizada. Afinal, não é uma boa ideia uma instituição engessada e que fique presa nas prerrogativas do passado. A sociedade mudou e com ela o ensino deve se ajustar às novas necessidades.

Uma das “novidades” contemporâneas é a educação socioemocional. Essa metodologia acredita que o aluno deve desenvolver suas habilidades como um todo, mas principalmente levando em consideração o autoconhecimento, a convivência social, a inteligência emocional e a resolução de conflitos.

Todo cuidado é pouco

Escolher uma escola para o seu filho não é como jogar na loteria. Não é sorte, é pesquisa e conversa entre a família. Lembre-se que mudar a criança constantemente de escola não é saudável psicologicamente para ela. Por isso, todo cuidado é pouco na hora de tomar a decisão final. Grande parte da construção social e pessoal do seu filho virá do lugar que ele irá frequentar até os 17 anos.