Posts

7 maneiras de tornar o estudo divertido

Muitas crianças não estudam porque acham chato. Ninguém gosta de olhar para os livros e se sentir desmotivado. Parece que seu cérebro adormece… Isso se a gente fica com a máxima de que o estudo não pode ser divertido. E muito mais do que não fazer o dever, fica mais desafiador delas memorizarem aquilo que está sendo estudado.

A boa notícia é que você pode ajudar seu filho e tornar o estudo mais divertido. Assim, é mais provável que seu filho retenha as informações por mais tempo e a experiência de estudar seja uma hora de sorrisos.

Elimine a velha rotina de estudo e use essas maneiras empolgantes de tornar o estudo divertido para as crianças.

Como tornar o estudo divertido?

1. Faça leituras dramáticas

Quando seu filho precisar ler algum livro que “empacou”, faça uma leitura dramática. Isso mesmo, como se estivesse atuando: com veemência e energia. Ler em voz alta pode tornar as coisas mais fáceis para as crianças se lembrarem. Deixe que seu filho fique realmente envolvido com suas leituras para que se divirtam enquanto estudam.

2. Faça pausas para atividades divertidas, como dançar

O tempo que seu filho passa estudando é importante, mas também é necessário ter intervalos para que as informações “se assentem”. Que tal fazer uma pausa para dançar de vez em quando? Coloque uma música divertida e deixe-os dançar por alguns minutos. Você pode até usar música que seja relevante para as informações que eles estão estudando para tornar a dança ainda mais produtiva. Você também pode escolher uma outra atividade, mas que não saia por muito tempo do foco dos estudos.

3. Desenhe para ilustrar pontos importantes

Às vezes, é difícil para as crianças compreenderem e lembrarem certos conceitos, principalmente os novos. Então, considere fazer com que as crianças façam desenhos que ajudem a ilustrar pontos importantes. Esta não é apenas uma maneira divertida de aprender, mas também ajuda seu filho a expressar pontos de uma maneira fácil e lúdica.

4. Jogue com a disciplina para um estudo divertido

Jogar sempre é uma ótima maneira de estudar enquanto se diverte. As crianças adoram jogar, e se você transformar o tempo de estudo em tempo de jogo, eles vão aprender. Por exemplo: se seu filho estiver com dificuldades em sentar para estudar matemática, que tal fazer um Quizz? Ou se o problema é história, que tal fazer um jogo de mímicas baseado no conteúdo?

5. Siga o estilo de aprendizagem do seu filho

É muito importante que você entenda que tipo de aluno seu filho é, ou seja, auditivo, visual ou cinestésico. Você pode adotar um cronograma de estudos com base na preferência do seu filho.

6. Coloque ênfase na aprendizagem e não nas notas

Embora boas notas sejam importantes para passar de ano, isso não deve ser a prioridade. Na verdade, isso pode fazer com que o estudo se torne uma obrigação pesada, cheia de expectativas. Mude o foco do aprendizado. Mostre que aprender é muito mais do que tirar boas notas. Pergunte a ele sobre as atividades do dia a dia na classe e o que ele aprendeu no dia de interessante. Demonstre curiosidade.

7. Esteja do lado do seu filho

Ainda sobre essa questão: não coloque pressão sobre seu filho para ter uma boa pontuação ou obter melhores notas. Seja legal e gentil com ele e tente entender as coisas de sua perspectiva. Tente tornar seu filho responsável pelos estudos de maneira positiva, pois qualquer tipo de negatividade pode transformá-lo em um rebelde e isso pode fazê-lo ceder e desafiar você.

Separamos um podcast muito interessante que complementa esse assunto. Veja abaixo:

Artesanato para crianças: comece ontem!

Nutrir o lado criativo de seu filho pode ser tão importante quanto brincar ao ar livre e ler com eles – afinal artesanato para crianças tem tantos benefícios quanto tais atividades. Os projetos criativos ajudam a desenvolver o lado sensorial, a imaginação e as habilidades motoras (tanto as sutis quanto manuais) do seu filho. E venhamos: nem precisamos mencionar o orgulho que eles próprios têm ao criar algo com suas próprias mãos.

A Casa do Sol separou alguns pontos importantes que vão fazer você entender como que o artesanato para crianças deve ser uma realidade para o seu filho.

Projetos de artesanato para crianças: por que são tão importantes?

O artesanato tem benefícios incríveis para as crianças. Além de aprenderem a terem paciência e concentração, incentiva o pensamento livre e a resolução de problemas. Quando feito em grupo, o artesanato para crianças pode ser incrivelmente relaxante, divertido e social. É uma ótima maneira de trabalhar ‘juntos’ e compartilhar ideias (inclusive têm umas bem boas aqui – em inglês!).

Benefícios do artesanato para crianças

1. Habilidades motoras

Quando as crianças usam os dedos para manipular materiais de arte, elas estão desenvolvendo suas habilidades motoras finas à medida que usam os pequenos músculos das mãos. Suas habilidades de coordenação bilateral melhoram à medida que aprendem a usar as duas mãos ao mesmo tempo.

Tudo isso acontece quando eles pintam, colorem, colam e cortam. Quanto mais rápido se desenvolverem suas habilidades de motoristas finos, mais eles podem fazer por conta própria, desde a comer sozinhas até amarrar seus próprios cadarços.

2. Alfabetização

As habilidades de alfabetização da primeira infância em arte e artesanato cobrem uma ampla gama de áreas – desde falar e ler até ouvir e compreender. Quando as crianças fazem arte ou artesanato, elas falam sobre seu trabalho, que desenvolve suas habilidades de comunicação. “Por que você escolheu essa cor?” “Conte-me sobre o que você fez.” Ao responder essas perguntas, elas aprendem um novo vocabulário com os pais e, ao seguir instruções verbais, usam suas habilidades de escuta. Uma habilidade que todos os pais querem que nossos filhos aprendam o mais rápido possível para que possam começar a nos ouvir!

3. Conceitos matemáticos

Frequentemente, as habilidades matemáticas básicas não são consideradas parte das atividades de arte e artesanato. Mas as habilidades matemáticas são usadas com frequência e têm um efeito positivo no desenvolvimento de habilidades matemáticas em crianças pré-escolares.

As crianças aprendem e reconhecem diferentes formas, contam e separam seus materiais de arte e até medem comprimentos e tamanhos de materiais de arte. Para dominar a matemática, você precisa de um bom raciocínio e habilidades de resolução de problemas, com as quais as atividades de arte e artesanato também ajudam.

4. Criatividade

A arte permite que as crianças desenvolvam sua criatividade, o que é importante ao longo de suas vidas. Ao fazer algo criativo, você permite a autoexpressão e isso permite que as crianças expressem (e lidem com) seus sentimentos. Também promove o crescimento mental das crianças, proporcionando oportunidades para experimentar novas ideias, novas formas de pensar e de resolver problemas.

5. Autoestima

As atividades de arte e artesanato dão às crianças uma sensação de realização e permitem que elas se orgulhem de seu trabalho, o que gera confiança. Fazer arte é uma maneira ótima e segura de descobrir que não há problema em cometer erros e que entender as coisas “erradas” podem levar você a uma ideia totalmente nova.

Qual melhor tipo?

As crianças reagem às experiências sensoriais. Em vez de focar em fazer projetos ‘reais’, o foco é mais sobre eles aprenderem no processo, ao explorar os materiais. Começar com uma caixa de artesanato é uma ótima opção. Encha-a com itens seguros da reciclagem, como caixas, rolos de papelão, garrafas plásticas e tampas grandes. O celofane faz grandes ruídos de amassado e eles podem ver através dele. Um novelo de barbante ou lã pode ser colado ou usado para enfiar coisas.

E para as crianças de 5 a 10 anos …?

É fato: as crianças adoram construir e criar. Dê uma caixa de papelão, alguns canos de plástico e conectores, tintas, papeis… e veja a mágica acontecer.

As meninas costumam ter mais paciência com atividades complicadas e, entre as idades de cinco a 10 anos, é o momento perfeito para começar a costurar, tricotar e fazer crochê – mas, por favor, leve seu filho também para fazer essas atividades, será tão bom para ele quanto para ela.

Cozinhar também é ótimo para essa faixa etária. Comece com pizzas, biscoitos, doces e sorvetes de frutas e dê a eles a liberdade de decorar e criar seus próprios sabores, formas e combinações exclusivas.

E depois dos 10 anos?

Gifting (presentes feitos à mão própria) é uma ideia favorita para essa faixa etária. Não só é conveniente (afinal, vamos economizar), mas hoje em dia ‘feito à mão’ é muito legal mais legal do que ir até uma loja e comprar algo. Adolescentes que amam fazer sua própria arte em uma tela, seja arte de rua ou apenas algo ousado e brilhante. É um verdadeiro impulsionador da confiança ser capaz de dar algo que você mesmo fez.

Outra opção é a construção de modelos de casas, vulcões e etc. Ele os ensina a seguir as instruções e concluir uma tarefa com algo para mostrar no final. Se você conseguir arrastá-los para longe do computador por tempo suficiente, é uma ótima evolução.

Também é interessante customizar suas próprias roupas. Adicionar acentos decorativos é uma ótima maneira de tornar suas coisas únicas e pode ser tão simples quanto mudar a cor dos botões de suas camisas e adicionar fitas, enfeites ou strass. Eles podem até fazer joias para combinar. Isso não só economiza dinheiro, mas os ajuda a se sentirem confiantes, criativos e únicos.

Apresente um novo mundo ao seu filho

Projetos de artesanato são uma ótima maneira de ensinar as crianças a tentar algo e, potencialmente, até falhar. Todos nós já tivemos muitas tentativas fracassadas de artesanato, o que, em última análise, ensina as crianças que é bom tentar algo de qualquer maneira, mesmo que não seja um sucesso estrondoso.

Finalmente, não se preocupe se seu filho ou você não sejam os maiores artesãos do mundo. Ainda vale a pena reservar um tempo para fazer alguns projetos com seus filhos, ensinando-lhes que você está disposto a desistir e passar algum tempo de qualidade com eles no processo.

Como criar uma criança de sucesso e feliz

Sabemos que não existe um guia completo e 100% preciso que garanta que nosso filhos terão sucesso em suas vidas e que todos os seus sonhos serão conquistados. Contudo, os pais podem auxiliá-lo a construir um psicológico forte, que dará as bases necessárias para essa trajetória. Criar uma criança de sucesso não é dever nem dos pais, nem da escola e nem de uma pessoa específica. Mas que tal ajuda-lo?

A influência dos pais é maior do que se imagina para o psicológico do filho. Por isso, separamos algumas maneiras de criar uma criança de sucesso. Em outras palavras: como auxiliar seu filho a ser um adulto feliz, em qualquer profissão que ele escolher.

Como criar uma criança de sucesso

Tenha conversas sinceras desde a infância

Ter fortes habilidades de comunicação abrem uma grande variedade de oportunidades para a vida toda. Não só no campo profissional, mas também no pessoal. Quantos relacionamentos (não apenas amorosos) vemos por aí que a comunicação é o ponto mais difícil?

Por isso, promover essa habilidade desde a infância é ótimo para que ele saiba que o diálogo e a conversa sincera devem sempre prevalecer. Não por acaso, pesquisadores da Universidade de Iowa descobriram que essas conversas devem ser feitas desde os primeiros anos de vida. Ou seja, mesmo que seu filho ainda não fale.

O que as pesquisas dizem

Um estudo conjunto do MIT, Harvard e da Universidade da Pensilvânia levou essa correlação um passo adiante. Ele descobriu que crianças de 4 a 6 anos que efetivamente se engajavam em conversas tinham mais ativação na área de Broca, uma parte do cérebro ligada à produção da fala.

Além disso, essas crianças com a Broca mais ativa tiveram melhor desempenho em testes que abrangem conceitos de artes da linguagem. Ao incentivar a conversa, desde a tenra idade, você pode ajudar seu filho a adquirir não só a linguagem mais rapidamente, mas também a promover o desenvolvimento cerebral crítico.

Pense criticamente sobre o que você deixa ele assistir/ouvir

O tempo na tela é frequentemente pintado como inimigo do sucesso, associado a problemas na escola, obesidade e uma pobre interação social. Esse impacto em uma criança, no entanto, destaca mais o que ela está perdendo durante o seu crescimento. Não é a TV que é tóxica – ou o Youtube – mas sim o que está sendo oferecido ao seu filho e por quanto tempo.

Por isso, deixa-lo horas a fio na frente da TV/Celular, mesmo que assistindo programas educativos, pode saudável para o desenvolvimento cognitivo – desde o campo comunicacional ao social. Por isso, ao oferecer conteúdos do tipo para seu filho, verifique:

  • O que esse programa está ensinando a ele?
  • Por quanto tempo ele está na frente da tela?

Preste atenção ao sono do seu filho

Ao se tratar de crianças, é importante prestar atenção não apenas na quantidade de horas de sono, mas também a consistência de seus horários. Cochilos regulares, por exemplo, são essenciais para a capacidade do seu filho de aplicar novos conceitos de linguagem de maneira abstrata.

Em um estudo na Universidade do Arizona, descobriu-se que as crianças que cochilavam dentro de quatro horas depois de aprender uma nova palavra ou regra gramatical eram mais propensas a saber aplicá-la no dia seguinte. As crianças de dezoito meses podem até aprender regras e utilizá-las em frases totalmente novas, se uma soneca vier a seguir, mas elas não conseguirão fazê-lo se permanecerem acordadas.

A necessidade de sono só aumenta à medida que seu filho cresce. O cérebro depois dos 30 meses amadurece o suficiente para permitir a reprodução neural – a maneira de sua mente fazer um balanço de novos aprendizados enquanto você dorme e armazená-los em sua memória. Quando o seu filho iniciar o ensino fundamental, ele precisará de nove a 11 horas de sono por noite para aproveitar ao máximo o que aprendeu na sala de aula no dia anterior.

Ensine-o a valorizar o processo

Crianças muitas vezes funcionam com o sistema de recompensa. Escove os dentes e ganhe um tempinho no vídeo game. Coma isso e ganhe aquilo…. Isso não é muito saudável se você quer criar uma criança de sucesso. Ela vai aprender que tudo na vida gera recompensas rápidas. E sabemos que não é bem assim.

Por isso, é interessante ensiná-las a valorizar o processo, a esperar, a fazer as coisas não por esperar algo em troca, mas sim pelo fazer em si.

Construir uma rotina e estabelecer expectativas para o seu filho o ajudará a entender os benefícios do gerenciamento e da consistência do tempo. Suas expectativas se tornarão próprias à medida que amadurecerem e virem as recompensas de seus esforços ao longo do tempo, estejam eles estudando muito para uma aula difícil ou simplesmente limpando o quarto.

Brinque de “fingir”

Fazer brincadeiras de “fingimento” é a pedra angular da existência na primeira infância. Quantas vezes não fingimos que somos monstros, fingimos que estamos em um castelo ou com um amigo imaginário? Embora você pense naqueles momentos doces momentos de nostalgia daquela época da infância, o desenvolvimento mental que seu filho experimenta de brincadeira os seguirá por toda a vida.

À medida que adotam papéis específicos, as crianças constroem seu mundo imaginário e convidam seus amigos a participar da jornada que estabeleceram. Assim, as crianças aprendem a ser mais criativas, a ter uma melhor comunicação de longo prazo e a amadurecer suas habilidades de resolução de problemas. Deixe a imaginação fluir… E embarque nessa jornada com seu filho.

Construa um sistema de suporte escolar

À medida que seu filho se forma no ensino fundamental, sua visão de mundo se expande para as horas gastas na sala de aula. Seus professores, em particular, exercem forte influência sobre seu crescimento, trazendo consigo uma vasta experiência e compreensão profissional dos marcos e expectativas de desenvolvimento e educação.

Combinada com o seu conhecimento superior de seu filho e de suas necessidades, a escola e o lar podem trabalhar juntos para promover seu sucesso à medida que avançam de uma série para outra.

Dessa maneira, converse com os professores da escola de seu filho e entenda quais são as características que estão sendo trabalhadas nas aulas e etc. Afinal, o mundo da criança/adolescente é sua casa e a sua escola. Por isso, saber que a escola está em consonância com os valores da sua família é imprescindível. Até já demos algumas dicas aqui sobre como escolher a escola ideal para seu filho.

Criar uma criança de sucesso é criar uma pessoa feliz

Sucesso não deve ser visto apenas como milhares de reais na conta, carros e casas. Afinal, não é isso que sustentará nossa felicidade. Criar uma criança de sucesso é fazer com que ela saiba se comunicar, tenha relações saudáveis e seja feliz onde quer que ela esteja.

Frases para acalmar seu filho – ao invés de dar bronca

Imagina um dia daqueles: louça para lavar, trabalho para entregar, cabelo para fazer, reunião para participar e, no meio de tudo isso, seu filho começa a ter um acesso de raiva ou a chamada “malcriação”. Antes de perder a cabeça, separamos algumas frases para acalmar seu filho ao invés de dar uma bronca.

Nos inspiramos no blog da Renee Jain do BrasilPost!

Frases para Acalmar seu filho é melhor do que dar bronca?

Não importa o que seu filho fizer e a gravidade da “malcriação”. Quase sempre o primeiro impulso é dar uma bronca e falar mais alto, com autoridade. Cansa, é trabalhoso, mas bronca faz parte do processo de crescimento do seu filho. Mas ela só é fundamental quando vem na hora e do jeito certo.

É importante estabelecer limites e dizer não. Porém, também tenha em mente que é intrínseco das crianças descobrirem o mundo e testarem os limites à exaustão. E muitas vezes esses “testes”, aliados com outras questões da rotina, levam os pais a terem um excesso de raiva. Isso porque a bronca não deve ser uma expressão de raiva ou agressividade. A bronca serve para traçar os limites que os pais estabeleceram. Para mostrar para a criança que “dali não se passa”.

Entretanto, a linha é tênue entre educação e agressividade. Afinal, nós também temos que controlar nossas próprias emoções.

Por isso, acalmar seu filho, muitas vezes, pode ser suficiente. Assim, você pode não precisar ir até uma bronca mais severa.

Frases para acalmar seu filho

Pensando nisso, vamos fazer o seguinte exercício: ao invés de uma bronca mais severa e dura, vamos experimentar usar essas frases para acalmar seu filho.

1. Ao invés de: Deu, você está de castigo!

Troque por: Vamos ali para nosso cantinho da calma.

Ao invés de levar seu filho para um “banimento”, tenha um momento junto com ele para se reconectarem.

2. Ao invés de: Coma agora sua comida ou vai ficar com fome!

Troque por: O que será que podemos fazer para deixar a comida mais gostosa?

A responsabilidade também será do seu filho – e nada de ameaças.

3. Ao invés de: Pare de choramingar!

Troque por: Vamos tentar falar isso com uma voz normal?

Por vezes as crianças ficam choramingando/gemendo sem perceber. Quando você fala para elas dizerem com a voz normal, ensinará que a maneira que falamos também é importante.

4. Ao invés de: Quantas vezes vou ter que repetir a mesma coisa?

Troque por: Estou vendo que você não me ouviu da primeira vez. Que tal eu falar para você e você repetir para mim, bem baixinho?

Esse exercício de repetição é importante para a mensagem ser reforçada.

5. Ao invés de: Já para seu quarto!

Troque por: Vou ficar aqui do seu lado em silêncio até você se acalmar.

Isolamento transmite a mensagem de que há algo errado com seu filho. Acalmar seu filho, do lado dele, abre um espaço para a comunicação.

6. Ao invés de: Pare de gritar!

Troque por: Vou fazer de conta que estou pagando velinhas de aniversário. Faz comigo?

De uma maneira bem divertida, faça uma respiração profunda com seu filho. Ela ajudará o corpo a recuperar a calma.

7. Ao invés de: Não vou trocar!

Troque por: Que pena que você não gostou de como fiz… Como você achar que pode ficar melhor?

Mude o foco de atenção do acontecimento e deixe livre o espaço de comunicação.

8. Ao invés de: Não fique bravo(a)!

Troque por: Eu também fico bravo(a) às vezes. Que tal soltar nosso grito de guerreiro para mandar tudo isso embora?

Estudos recentes apontam que gritar (apenas uma vez) e fazer caretas ajuda o cérebro a controlar a raiva e diminuir a dor física. Não por acaso, até a Yoga utiliza essa técnica. Por isso, soltar um grito de guerreiro é uma forma de dissipar essa energia de um jeito divertido.

O que funciona para acalmar seu filho?

Viu como há diversas maneiras de passar a mesma mensagem? Agora queremos saber de você: o que você faz para acalmar seu filho e não partir diretamente para a bronca? Quanto maior a troca, a comunicação e o afeto, melhor será sua relação com seu filho e uma pessoa mais equilibrada ele se tornará.

Soluções para facilitar a rotina com as crianças

Falam que ter filhos é saber como organizar a vida como ninguém. Entretanto, ninguém entrega esse manual pronto. Quem é pai/mãe sabe como, na prática, é difícil manter a casa organizada, incentivar a independência, estimular a criatividade e… Bom, a lista é grande. Para facilitar a rotina com as crianças do dia a dia o ideal é buscar por informação e ver o que encaixa na sua casa.

Para isso, a Casa do Sol trouxe algumas dicas de soluções para facilitar a rotina com as crianças.

Mas por que a rotina com as crianças é importante?

Criar uma rotina com as crianças é benéfico não só para ela, mas para todos que habitam a casa. Montar um esquema de horários – seja do plano de estudos ou da hora da brincadeira – traz organização para a vida dos pais e dos filhos e, assim, evita momentos de correria ou de estresse infantil e parental.

Estando eles em casa ou não, é importante salientar que os pequenos não podem se sentir sobrecarregados. É preciso o tempo para estudar, brincar livremente, descansar, criar e por aí vai. Por isso, não monte uma agenda igual àquela que monta para você. Para as crianças, é importante ter no dia menos atividades. Ao invés de horários apertados e sem tempo para brincadeiras ou para imprevistos, prefira estipular apenas as atividades essenciais do dia a dia.

Soluções para facilitar a rotina com as crianças

As famílias que já estão no segundo ou terceiro filho provavelmente já conhecem alguns “macetes” que facilitam a rotina e solucionam problemas que pareciam muito difíceis de serem ultrapassados. Mas, mesmo que você esteja no primeiro filho, você não precisa passar pela história de stress e cabelos para cima.

O ideal é recorrer a truques que garantem a segurança, o conforto e a organização para que os pais consigam fazer para ter uma vida mais tranquila. Não deixar que pequenas coisas gerem estresse dentro de casa é a chave para uma vida familiar ainda melhor! E uma rotina organizada vem para te ajudar.

1. Incentive a independência

A dica não é deixar simplesmente seu filho à mercê de qualquer situação. Mas comece com um “desafio” por vez. Por exemplo, incentive seu filho a ir ao banheiro sozinho como se isso fosse uma conquista. Para ajuda-lo coloque uma caixinha de madeira próxima ao vaso sanitário para que ele tenha alcance e consiga fazer sozinho.

Facilite a vida deles para que os pequenos possam, sozinhos, mexer nas coisas, se arrumarem, tomarem banho, escovar os dentes…

2. Prepare-se para a escola (ou para estudar em casa) com calma

De manhã é quase sempre aquela correria. Para isso não acontecer, deixe a lancheira e a mochila prontas no dia anterior. E, aproveitando o item anterior: conforme a criança for crescendo, incentive-a dela própria fazer essa organização do material escolar e do lanchinho para o dia seguinte. Isso é um passo importante para a rotina com as crianças caminhar bem.

3. Mantenha sempre o mesmo horário de refeição nos dias de semana

A alimentação regrada, essencial para dar um boost na imunidade do seu filho, e com horários e locais fixos vai fazer com que ele comece assimilar que em alguns momentos do dia ele terá que parar para comer com atenção. Algo que não tem como ele escapar e que toda família estará junto. Tente aproveitar a refeição também manter uma conversa sobre a vida de seu filho e que ele também saiba da sua vida. Um momento de compartilhar!

4. Monte um planejamento com seu filho

Pegue uma cartolina, canetinhas coloridas e outros materiais e faça com seu filho a agenda semanal. Coloque tudo o que está programado para ela fazer: prova de matemática, aula de futsal, ida na casa da vóvó e por aí vai. Coloque no quarto dele ou em qualquer lugar que seu filho consiga sempre ver. Conforme as tarefas forem realizadas, vá até a cartolina com ele e deixe como “feito!”.

Se a rotina com as crianças sair dos eixos, não se desespere!

A programação sair fora do esperado é normal de vez em quando. Imprevistos acontecem. O essencial é ter jogo de cintura e flexibilidade para que o dia corra bem. Tenha alguns horários livres entre as atividades para que se tenha mais tranquilidade em caso de atrasos, por exemplo. Os truques são simples e sempre funcionam melhor com uma dose de criatividade e leveza.

E você, qual solução você usa para sua casa para manter uma boa rotina com as crianças?

8 filmes clássicos para ver com as crianças

Uma sessão pipoca: quem não gosta? A criançada adora se juntar no sofá com os pais para entrar em diferentes mundos, histórias e aventuras. Além de ser uma diversão e tanto para ela, é ótimo para estreitar os laços familiares. Pensando nisso, a Casa do Sol separou 8 filmes clássicos para ver com as crianças – todos disponíveis no Netflix!.

Filmes clássicos para ver com as crianças: amplie o repertório cultural

Assistir a um filme clássico vai muito além de simplesmente “passar um tempo”. O cinema tem uma boa participação na formação do repertório cultural das pessoas – principalmente na lembrança. Não por acaso, há diversos estudos que apontam que o cinema torna “a criança e a infância que lhe é correlata “visíveis” e “enunciáveis”, como processos constituidores da verdade, mesmo que a verdade seja sempre entendida como interpretação, como perspectivismo”. E sabe quem falou isso? Nietzsche!

Em outras palavras, ter na mão esses filmes clássicos para ver com as crianças é uma bela maneira de criar um espaço de memória – onde será construída a noção de “vida”. Filosófico, né? Podemos dizer também o bom e velho: relembrar é viver!

8 filmes clássicos para ver com as crianças

Separamos aqui uma lista de obras clássicas de fantasia, aventura e comédia que certamente marcaram a sua vida e, agora, podem marcar a vida de seu filho também. O melhor de tudo é que eles todos estão disponíveis no Netflix. Então, fica facinho, facinho de encontra-los.

Coloca o milho para estourar, que a sessão já vai começar!

1. A família Adams (1991)

Resultado de imagem para familia adams 1991
Reprodução ImdB

Dirigido por: Barry Sonnenfeld. A família Adams é um clássico dos clássicos. O pai da família, Gomez Adams, lamenta o desaparecimento de seu irmão Funério. Até que um homem chega à casa da Família Adams dizendo ser Funério. Mas tudo começa a ficar estranho… Risadas garantidas!

2. Abracadabra (1993)

Resultado de imagem para abracadabra filme gif
Garotasgeeks.com

Dirigido por: Kenny Ortega. História das irmãs Winnie, Sarah e Mary, que foram condenadas à morte no século 17 por serem bruxas. Acidentalmente, 300 anos depois, elas ressuscitam e começam uma caçada em busca de juventude e imortalidade. Mas tudo sempre acaba mal, graças a três crianças e um gato falante.

3. E.T. – O extraterrestre (1982)

Resultado de imagem para et filme
Reprodução

Dirigido por: Steven Spielberg. O filme conta a história de um garoto que, por acaso, encontra um ser muito simpático de outro planeta. Cria-se uma amizade e a criança tenta proteger seu novo amigo a qualquer custo para que ele não vire experimento científico. Uma história de amizade e companheirismo interplanetário.

4. Querida, Estiquei o bebê (1992)

Resultado de imagem para querida estiquei o bebê
Reprodução

Dirigido por: Randal Kleiser. O atrapalhado cientista Wayne quer aproveitar a saidinha da sua esposa para realizar um experimento um tanto quanto curioso – e desastroso. As cobaias? Os próprios filhos. O caçula Adam acaba exposto a uma carga elétrica que o transforma em um bebê gigante. Começa-se a trapalhada por toda a cidade de Los Angeles. Quem vai parar esse bebê?

5. Operação Cupido (1998)

Resultado de imagem para operação cupido gif
Reprodução

Dirigido por: Nancy Meyers. Um dos primeiros filmes da atriz Lindsay Lohan. As irmãs gêmeas Hallie e Annie foram separadas ainda pequenas: uma criada pela mãe e outra pelo pai. Entretanto, as duas se encontram em um acampamento de verão e descobrem que são irmãs. Porém, na hora de voltar para casa, elas trocam de lugar e começam um plano para juntar a família novamente.

6. Karate Kid 3 – O desafio final

Resultado de imagem para karate kid 3
Reprodução

Dirigido por: John G. Avildsen. O garoto Daniel é desafiado para uma luta final de karatê para enfrentar um lutador que quer destruir seu mestre, Miyagi. Primeiramente, o desafio é recusado. Mas depois acontecem algumas coisas que fazem o garoto aceitar. Para Miyagi, no entando, a luta deve ser utilizada para defender a honra e a vida, e não troféus. Uma história de coragem e determinação.

7. Vida de Inseto (1998)

Resultado de imagem para vida de inseto
Reprodução

Filk é uma formiga cheia de ideias, mas sempre causa problemas na sua colônia. O último acidente foi destruir todos os alimentos que seriam usados para o pagamento ao gafanhoto Hopper – que exigiu ou dobro ou, se não, aniquilaria a colônia. Filk então começa a recrutar combatentes a defender o local até encontrar um bando de insetos de circo.

8. Matilda (1996)

Resultado de imagem para matilda
Reprodução

Matilda é uma criança super abençoada e, por isso, seus pais não a deixam frequentar a escola. Após muita insistência, ela consegue ir à escola e descobre que seus talentos serão necessários para proteger os amigos e sua professora da malvada diretora.

Um pouco por dia está ótimo!

Depois de ver alguns filmes, é bom sair um pouco da tv. Apesar de termos muita disponibilidade tecnológica para entreter as crianças, não se esqueça que é sempre bom fazer outras atividades offline. Separamos aqui alguns jogos e outras atividades para te inspirar! E agora conta: que filme marcou sua infância?

7 dicas para melhorar o sistema imunológico de seu filho

Resfriados e gripes são fatos na vida de qualquer criança. Entretanto, há maneiras de fazer com que o sistema imunológico dela tenha um boost e que ou ela não pegue a doença ou, no mínimo, ela passe mais rapidamente. Por isso, separamos aqui 7 dicas para melhorar o sistema imunológico de seu filho.

Por que melhorar o sistema imunológico?

Para proteger seu filho da infinita variedade de germes e vírus que tem por aí não basta – e nem é aconselhável – colocar eles em uma “bolha” – salvo em casos de epidemia. O professor associado da Universidade de Maryland, Charles Shubin, ressaltou isso em entrevista ao site “Parents”: “Todos nós começamos a nossa vida com um sistema imunológico inexperimente”. Dessa forma, lentamente as crianças começam a melhorar o sistema imunológico ao serem expostas a uma série de germes, vírus e bactérias do dia a dia.

Contudo, todo cuidado é necessário quando estamos face a novos vírus perigosos por aí – como o caso recente do coronavírus (COVID-19), que possui as crianças como principais vetores da doença.

7 dicas para melhorar o sistema imunológico de seu filho

1. Sirva mais frutas e vegetais a ele

Estamos em um país tropical e temos diferentes alternativas: de banana ao kiwi; da abóbora à cenoura. Uma boa escolha é escolher os alimentos ricos em carotenoides, como a cenoura, o feijão verde, os morangos e as laranjas. Os carotenoides são fitonutrientes essenciais para melhorar o sistema imunológico ao aumentarem a quantidade de interfron, um anticorpo que reveste a superfície as células – bloqueando a “chegada” dos vírus.

2. Preste atenção à hora do sono

A privação de sono é um fator de risco para a imunidade dos adultos ao desacelerar a produção de anticorpos no corpo. E a mesma lógica é verdadeira para as crianças. Além disso, as crianças normalmente precisam de mais horas de sono do que os adultos. Uma criança pode precisar de 11 a 16 horas de sono por dia.

3. Faça exercício físico com ele

No parque, no condomínio, na rua ou até mesmo em casa. Mantenha seu filho se exercitando sempre – isso é essencial para manter o sistema imunológico funcionando corretamente. Algumas formas de se exercitar com seu filho são a dança, pequenas competições e jogar bola.

4. Lave as mãos dele – e a ensine como!

Essa técnica não necessariamente vai melhorar o sistema imunológico de seu filho diretamente. Entretanto, é uma bela maneira de diminuir o stress no sistema imune da criança ao afastá-la dos germes. Ensine a criança a lavar a mão sempre que sair, que tocar no nariz, na boca. Além disso, lembre-a que é preciso lavar com sabão, entre os dedos, os punhos e que todo o processo deve durar 20 segundos (o tempo de cantar duas vezes “Parabéns para você”).

5. Afaste-o da fumaça de cigarro

Apesar da quantidade de fumantes estar diminuindo, muitas casas possuem pais que fumam. A fumaça do cigarro contém mais de 7.000 substâncias químicas maléficas à saúde – e ao sistema imune do seu filho, além de aumentar o risco de desenvolvimento de bronquites, infecções e até asma. Por isso, afaste-o de ambientes que possui fumaça de cigarro. Isso será bom para você também.

6. Aumente a quantidade de probióticos naturais

Uma boa flora intestinal é essencial para manter uma boa saúde – isso para adultos e para as crianças. É no intestino, por exemplo, que começa a produção dos anticorpos e a resposta imunológica. Insira alimentos como: iogurtes probióticos, kombucha, picles, kefir, azeitonas curadas, misô, vinagre de maçã etc.

7. Use óleos essenciais

Pesquisas demonstram que alguns óleos essenciais, como de eucalipto e de orégano, funcionam como imuno-impulsionadores. Eles têm capacidade antibacteriana e de modulação imunológica. Tente difundi-los em seu ambiente interno para apoiar a imunidade de toda a família. O eucalipto tem um efeito energizante e o óleo essencial de orégano de qualidade alimentar pode ser adicionado às refeições para melhorar o sabor, bem como o sistema imunológico do seu filho.

Esteja ao lado de seu filho… de bom humor!

Além dessas dicas práticas, saiba que ficar ao lado de seu filho é o melhor boost para seu sistema imunológico. Uma pesquisa da Universidade da Noruega mostrou que os participantes mais bem humorados tinham o risco de morte reduzido em duas vezes. Por isso, tenha sempre uma atitude positiva com as crianças. Toda a família pode colher os benefícios dessas dicas simples e eficientes, não acha?

Filho dentro de casa? 7 atividades para se fazer com ele!

Por vezes, seja por questões de saúde, dias de chuva ou férias escolares antecipadas, as crianças devem ficar em casa. E agora, o que fazer com elas? Ao invés de deixar os filhos o tempo inteiro à mercê das tecnologias – jogando no celular, vídeo games, televisão e computador -, que tal usar esse tempo para fazer atividades com os pequenos e se divertir?

A imaginação e a criatividade devem vir à tona. Afinal, chega uma hora que as ideias parecem se esgotar. Mas fique tranquilo(a), separamos 7 coisas para se fazer com o filho dentro de casa. E o melhor: cada uma delas tem um intuito e um benefício.

7 coisas para se fazer com o filho dentro de casa

Seja qual atividade escolhida, cada uma vai contribuir, à sua maneira, para fortalecer os laços entre pais e filhos. Crie memórias inesquecíveis com seu filho!

Faça uma oficina de teatro

Sabe aquelas roupas coloridas, acessórios de carnaval, maquiagens do fundo da gaveta e perucas engraçadas guardadas no armário? Com o seu filho dentro de casa, que tal reunir tudo isso e montar um figurino bem legal para entrar no clima de teatro? Afaste os móveis da sala e invente uma história com seu filho – deixe a imaginação fluir.

Ah, e participe também! Fantasie-se, faça parte desse mundo imaginário e garanta boas gargalhadas e emoções para toda família!

Depois de tanta energia, nada melhor do que aquele lanchinho, não é?

Cozinhe com seu filho dentro de casa

Faça a criança participar da preparação do seu próprio lanche. Escolha junto com seu filho uma receita prática e saudável. Faça a divisão das tarefas: cada um pode ficar com uma etapa do preparo – assim todos participam e você consegue monitorar o que seu filho está fazendo.

Depois, é só deliciar-se. A criançada vai ficar super feliz e orgulhosa de fazer algo com você – e além disso algo muito gostoso!

Acampe em casa

Não precisa ter uma barraca propriamente dita. Use lençóis e travesseiros e os apoie em mesas e cadeiras para fazer uma “cabaninha”. Claro, peça ajuda! Seu filho vai até esquecer que está dentro de casa e esse espaço irá criar um clima super gostoso para as próximas atividades.

Conte histórias

Com a barriga cheia dá um soninho… Por isso, agora é o momento ideal e pegar aquele livro infantil na estante. Já que seu filho está dentro de casa, use desse tempo para ficar juntinho dele. E a contação de histórias é uma das melhores alternativas, além de ser importante para o desenvolvimento da imaginação das crianças e para o aperfeiçoamento da língua portuguesa.

Assim, os livros são bem vindos em qualquer situação. Se transformar a contação de histórias em uma rotina, seu filho ficará cada vez mais encantado com a literatura – crucial para seu desenvolvimento humano.

Desenhe e pinte

Lápis, papel, giz de cera, tinta… Seja qual for o material, desenhar e pintar é uma ótima criatividade. Pode deixar um “tema livre” ou você e seu filho podem desenhar sobre algo específico: uma viagem inesquecível, um momento especial, a profissão que ele gostaria de ter… Conforme os desenhos forem ficando prontos, pendure-os num cantinho para mostrar como eles são importantes para todos!

Campeonato de jogos

Pode ser um jogo de tabuleiro ou até mesmo um jogo de grupo – ainda evite os jogos eletrônicos! Que tal brincar de mímica? Adivinhação de músicas? Quebra-cabeça? Baralho? As opções são várias. Além do seu filho se divertir, esse momento será ótimo para promover boas risadas e para ensiná-las sobre o que é ganhar e perder

Hora de dançar!

Coloque uma música bem agitada e divertida – ou aquela que seu filho mais gosta. É hora de soltar o corpo! Dance com ele, pule e agite-se! Além de ser ótimo para arrancar belos sorrisos, vai desenferrujar um pouco o corpo da criança – que precisa muito de atividade.

Filho dentro de casa também é diversão

Essas simples ideias são super eficientes. Mesmo com seu filho dentro de casa, elas vão mostrar a ele que há como se divertir em família e longe de qualquer tecnologia. Isso é saudável e muito importante não só para a criança, mas para toda a família.

Hiperatividade: o que você deve saber

Seu filho(a) parece que está sempre com a energia ligada na tomada? Muito além do que das outras crianças? Saiba que seu filho pode sofrer de hiperatividade – derivada muitas vezes do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). O Ministério da Saúde estima que tal transtorno atinge de 3 a 6% da população mundial. Se não tratado, pode levar a problemas de relacionamentos, profissionais e de adaptação à sociedade.

Pensando nisso, separamos alguns sinais que mostram que a criança/adolescente sofre de TDAH. Quanto antes diagnosticado, melhor. Contudo, é bom lembrar que quem dará a avaliação final é o psiquiatra ou neuropediatra.

Hiperatividade: o que é

Muito mais do que uma pessoa que nunca fica cansada, a hiperatividade é caracterizada por um estado de excesso de energia física (muscular, por exemplo) ou mental (identificada como intenso fluxo de pensamentos). Contudo, raras vezes ela é facilmente diagnosticada , pois pode ocorrer em diversas situações do dia a dia de crianças e até mesmo de adultos.

Em linhas gerais, alguém hiperativo é uma pessoa desatenta, que não possui bom desempenho na escola ao ter problemas de se concentrar para ler ou fazer outras tarefas que requerem atenção. Junto com isso, vem também traços de inquietação, nervosismo e movimentos motores excessivos. Dessa forma, tem o sono fica agitado, faz as refeições de pé, anda de um lado para o outro pela casa etc.

Agitação acima do que o normal

Ter tais comportamentos citados anteriormente de vez em quando não há nenhum problema. Afinal, todos têm dias um pouco mais agitados. Porém, tudo isso feito de forma excessiva acompanha-se da dificuldade de concentração para prestar atenção nas aulas, realizar as lições de casa e até de brincar de uma forma calma e segura com seus colegas.

Assim como qualquer transtorno, a hiperatividade pode variar de intensidade dentro de um espectro. Ou seja, um mesmo comportamento pode parecer mais excessivo ou não a depender das condições do observador (geralmente os pais ou os professores). Por isso, é preciso ter um norte de identificação do TDAH.

Para se verificar a existência da hiperatividade, os médicos utilizam as referências do DSM IV – um manual de diagnóstico para perturbações mentais da Associação Americana de Psiquiatria.  Nesse manual, são apontados 9 sinais de como identificar a hiperatividade e outros 9 para o déficit de atenção.

Como identificar a hiperatividade infantil

Os principais sintomas da hiperatividade em crianças podem ser classificados em tais itens:

  • Ficar sempre mexendo os pés ou as mãos
  • Levantar e sentar-se toda hora
  • Ficar correndo sem motivo aparente
  • Ter dificuldade em participar de brincadeiras mais calmas
  • Andar descoordenado
  • Fazer xixi na cama com uma idade mais avançada, como 8 ou 9 anos
  • Tendência em tropeçar, esbarrar nas coisas, cair ou sofrer qualquer tipo de pequeno acidente.

Mas o que causa a hiperatividade?

Não há uma só causa para a hiperatividade. Muitas vezes as causas derivam de fatores genéticos ou ambiental. Podemos listar as principais como:

  • TDAH
  • Uso de álcool, tabaco ou substâncias psicoativas pela mãe durante a gestação
  • Parto prematuro
  • Baixo peso do bebê ao nascer
  • Complicações no parto – como partos traumáticos ou prolongados
  • Mãe sob estresse contínuo ou mal nutrida
  • Ambiente familiar desorganizado ou desestruturado
  • Maus tratos e abuso
  • Deficiência intelectual
  • Doenças genéticas ou invasivas do neurodesenvolvimento, como o autismo

Antes de julgar, busque ajuda

O diagnóstico é clínico. Ou seja, não é necessário nenhum exame invasivo. Quase sempre essa avaliação é realizada por um psiquiatra para que se descarte outras doenças e transtornos. Por isso, não pense que só porque seu filho é mais agitado em algumas situações, que ele é hiperativo.

Todos aqueles que lidam com uma criança hiperativa consegue ver como esse excesso de energia acaba sendo uma fonte de sofrimento – tanto para a família, quanto para a criança. Para isso não acontecer, é importante seguir o tratamento indicado pelo psiquiatra. Ele pode variar de criança para criança, mas quase sempre essa hiperatividade é controlada por medicamentos psiquiátricos – que apenas o médico deve receitar. A criança não vai tomar o medicamento para sempre. Muitas vezes a hiperatividade pode desaparecer quando se chega na fase adulta.

Converse com seu filho(a)

Independentemente se a criança for diagnosticada com a hiperatividade, caso você note algo diferente no seu filho, que esteja causando a ele alguma forma de stress, converse com ele. Conhecer suas angústias e limitações será o primeiro passo para qualquer tratamento.

Como escolher uma escola para seu filho(a)?

Um novo mundo se abre quando a criança entra na escola. Longe dos pais e dos padrões de casa, o seu filho tem a oportunidade de criar amigos, aprendizados e descobertas. Tudo o que se vive nesses primeiros anos de vida – que vão durar até os 17, 18 anos – contribui para a formação dele como ser humano. Por isso, saber escolher uma escola ideal é o primeiro passo para uma boa formação do seu filho.

Separamos aqui 7 dicas para que a escolha seja certeira para o que você espera do futuro dos seus filhos.

Saiba o que você espera da escola

Nem todo lugar vai se encaixar com as expectativas de todas as famílias. Por isso, antes de sair à procura, faça uma lista do que você espera de uma escola. Pense naquilo que é imprescindível (profissionais qualificados, proximidade de casa, cursos extracurriculares etc.). Elenque em ordem de importância. É mais importante ser perto de casa ou ter uma mensalidade que cabe no bolso? Ter cursos extracurriculares ou foco no vestibular? Com essas questões resolvidas, ficará mais fácil identificar os pontos fortes de cada escola que visitar.

Pense no tipo de educação que você procura

Existem diversas metodologias de ensino para escolher. Todas elas funcionam. A única diferença é que cada uma vai encaixar em um perfil de família diferente. Desse modo, tenha em mente qual é o tipo de educação que deseja para seu filho que esteja de acordo com os valores e crenças que permeiam o ambiente familiar.

Entretanto, tome cuidado para não deixar os interesses da criança de lado. É preciso que família, criança/adolescente e escola estejam em sintonia. Afinal, não adiantaria nada encontrar um lugar que tenha os valores da sua família mas que não é agradável ao seu filho, certo?

Pesquise muito

Faça uma lista das escolas do seu bairro, perto do seu trabalho… Não há um número máximo ou mínimo de escolas a se visitar. Lembra a outra lista sobre o que espera da escola? Faça uma pré-seleção baseada nessas expectativas. Após finalizada a relação das possíveis escolhas, comece as visitas. Só faça a escolha quando a família tiver segura e confiante.

Leve a criança para uma visita

Nas visitas às escolas, é importante que se leve, pelo menos uma vez, a criança. Quando o filho faz a visita, a família saberá só de olhar em seu rosto se houve algum tipo de sintonia. Se ele se sentiu confortável, provavelmente será uma boa escolha.

Procure além do básico

Muito mais do que passar disciplinas tradicionais e preparar para o mercado de trabalho, a escola é um dos lugares nos quais se ensinarão valores e estimulará o desenvolvimento cognitivo, físico e social – independentemente da idade. Verifique se a escolhida tem em suas prioridades tais pontos humanos.

Verifique as referências

Ok, achou uma escola que agradou a família e a criança. Agora é hora de procurar as referências. Tente conversar com mães e pais de alunos da escola, entrar em fóruns de discussão online e nas páginas da escola nas redes sociais. Verifique se há comentários negativos em algum lugar. Se as referências forem boas, mais um ponto positivo!

Pergunte sobre as tendências futuras

Outro ponto que muita gente se esquece na hora de conhecer e escolher uma escola, é saber se ela está atenta aos avanços tecnológicos e pedagógicos. Pergunte se os professores são treinados constantemente e como a escola se mantém atualizada. Afinal, não é uma boa ideia uma instituição engessada e que fique presa nas prerrogativas do passado. A sociedade mudou e com ela o ensino deve se ajustar às novas necessidades.

Uma das “novidades” contemporâneas é a educação socioemocional. Essa metodologia acredita que o aluno deve desenvolver suas habilidades como um todo, mas principalmente levando em consideração o autoconhecimento, a convivência social, a inteligência emocional e a resolução de conflitos.

Todo cuidado é pouco

Escolher uma escola para o seu filho não é como jogar na loteria. Não é sorte, é pesquisa e conversa entre a família. Lembre-se que mudar a criança constantemente de escola não é saudável psicologicamente para ela. Por isso, todo cuidado é pouco na hora de tomar a decisão final. Grande parte da construção social e pessoal do seu filho virá do lugar que ele irá frequentar até os 17 anos.